Economia de Francisco: um chamado ao qual devemos responder

Economia de Francisco

Acontecerá entre os dias 26 e 28 de março, na cidade de Assis, na Itália, o evento Economia de Francisco com a participação de jovens empreendedores, transformadores sociais e economistas do mundo todo. Serão 2000 jovens de 120 países discutindo o caminho para uma economia mais justa, sustentável e inclusiva.

Sobre o evento

Com o lema “Jovens, um compromisso, o futuro” o evento é uma convocação do Papa Francisco que publicou uma carta convite no mês de maio de 2019 no qual convidava os jovens a “animar” a economia:

“Escrevo para convidá-lo para uma iniciativa que tanto anseio: um evento que me permita conhecer aqueles que estão sendo formados hoje e estão começando a estudar e praticar uma economia diferente, aquela que vive e não mata, inclui e não exclui, humaniza e não desumaniza, cuida da criação e não a caça. Um evento que nos ajuda a nos reunir e nos conhecer, e nos leva a fazer um “pacto” para mudar a economia atual e dar alma à economia de amanhã. Sim, precisamos animar a economia”, escreveu o Papa Francisco.

A escolha da cidade de Assis para sediar o evento foi importante, pois, de acordo com o Papa, a cidade é símbolo de uma mensagem de humanismo e fraternidade tendo como modelo São Francisco que de tudo se despojou por amor à Cristo, desenvolvendo uma visão de economia que ainda continua muito atual: o cuidado com os mais fracos e com a ecologia integral.

 

A Igreja volta o seu olhar para os empreendedores

A Economia de Francisco trata-se de um evento único e importantíssimo porque é a nossa Igreja Católica voltando o seu olhar para nós empreendedores e nos perguntando: como podemos fazer diferente?

“Suas universidades, seus negócios e suas organizações são oficinas de esperança para criar novas maneiras de entender a economia e o progresso, combater a cultura do desperdício, dar voz àqueles que não o têm, propor novos estilos de vida. Enquanto nosso sistema econômico-social ainda produzir uma vítima e houver uma pessoa descartada, não poderá haver a festa da fraternidade universal”, escreveu o Papa.

Como nós, empreendedores católicos, responderemos a esse chamado do Papa? Como podemos criar uma economia mais justa, fraterna e sustentável a partir dos nossos negócios? Com certeza, este evento é uma ótima oportunidade para refletirmos sobre o nosso papel de empreendedores para além do ganho material e financeiro.

 

Pastoral do Empreendedor presente em Assis

A Pastoral do Empreendedor estará representada neste evento com a presença de Patricia Maria, coordenadora da Pastoral do Empreendedor do Santuário São Judas Tadeu e atual secretária da coordenação nacional da Pastoral do Empreendedor. Ela foi uma das selecionadas para participar do evento e integra a delegação brasileira que conta com cerca de 70 jovens.

“Assim que ouvi falar do evento, pelos canais de mídia católica que acompanho, senti um chamado no meu coração, pois as palavras do Papa Francisco me tocaram profundamente porque eu sinto falta de uma economia que seja mais humana, solidária e de empresas que tenham alma. Fiz minha inscrição para o evento e confiei minha participação à intercessão de Maria Santíssima. Foi com grande alegria que recebi o e-mail com a aprovação da minha inscrição, disse Patricia”.

Patricia Maria da Silva tem 33 anos, é publicitária e trabalha com comunicação digital. Mãe de três filhos, ela desenvolve um projeto social chamado Mãe que Empreende no qual auxilia outras mães a tirarem suas ideias de negócio do papel e empreenderem com sucesso.

 

Faça parte você também

Para ajudar com os custos da viagem que é muito alto, Patricia criou uma campanha de arrecadação online e convida todos a colaborarem com a quantia que puderem:

“Ter minha inscrição aprovada foi uma grande alegria, mas agora tenho um grande desafio que é vencer a falta de recursos financeiros. Criei esta campanha porque acredito na força da união das pessoas. Sozinha participar deste evento me parece impossível, mas com a força e o amor que brotam da solidariedade sei que estarei presente”.

Você pode colaborar acessando a página da campanha neste link.

Acompanhe nosso blog para saber mais sobre o Evento Economia de Francisco e as novidades da Pastoral do Empreendedor no Santuário São Judas Tadeu.

II Encontro Nacional da Pastoral do Empreendedor

Missa de abertura do II Encontro Nacional

 

Aconteceu nos dias 02 e 03 de novembro de 2018 o II Encontro Nacional da Pastoral do Empreendedor na cidade de São Paulo-SP. Realizado no Centro de Formação Sagrada Família e conduzido pela coordenação nacional, o Encontro teve como principal desafio discernir formas de expansão e os meios de implantação de novas pastorais.

 

Pastorais Presentes

O Evento contou com a participação de coordenadores da PE de todo o país com representantes de Curitiba-PR, Maringá-PR, São Paulo-SP, São José do Rio Preto-SP, Jundiaí-SP, Presidente Prudente-SP, Mogi Guaçu-SP, Santo André-SP, Cuiabá-MT, Goiânia-GO, Vitória-ES, São João dos Patos-MA, Brasília-DF, Ariquemes-RO e Salvador-BA.

A Pastoral do Empreendedor do Santuário São Judas Tadeu esteve representada por dois de seus coordenadores: Patricia Maria e William Castro.

Patricia e William com o Frei Rogério (ao centro)

Mensagem de Dom Murilo para o Encontro

O II Encontro teve início no dia 02 às 18h com a missa de abertura sendo celebrada pelo Frei Rogério Soares, fundador da Pastoral e atual diretor espiritual. As atividades seguiram com a acolhida de todos os presentes por Ricardo Vencato, coordenador da Pastoral, que apresentou o vídeo enviado pelo Bispo referencial da Pastoral do Empreendedor, Dom Murilo Krieger, que nos lembrou, neste ano do laicato, a importância de todos sermos pastores do rebanho de Cristo e que devemos nos perguntar “o que podemos fazer por aquelas pessoas que não conseguem se ajudar sozinhas?” Logo após foi feita a recapitulação da ATA do I Encontro Nacional, ocorrido em 2017.

Confira o vídeo de Dom Murilo na íntegra:

Missão da Pastoral do Empreendedor

O segundo dia de Encontro foi mediado pelo Padre Joãozinho, scj. assessor espiritual da pastoral e iniciou-se com a rica partilha das experiências das pastorais do empreendedor locais que enfatizou a missão da Pastoral do Empreendedor que é cuidar pastoralmente da pessoa do empreendedor, do ser humano que é o primeiro a chegar na empresa e o último a sair, evangelizar também sua família, e consequentemente seus clientes e fornecedores, ressignificando o humano dentro das empresas. Também foi ressaltado que cuidar pastoralmente é envolver-se com a dificuldade do empreendedor que nos procura, sendo a presença de Jesus em sua vida.

 

Formação importante

Itens importantes do capítulo VII da Doutrina Social da Igreja foi apresentado e explicado pelo Frei Rogério que também abordou o tema da 4ª Revolução Industrial ressaltando que “o ser humano precisa se reconectar a si mesmo, não sendo possível para o homem viver na mesma velocidade das máquinas”. Após delicioso almoço foi apresentado o novo modelo do site da Pastoral do Empreendedor Nacional que estará no ar nos próximos dias.

O Encontro seguiu com a fala do vice-coordenador Daniel Godri Jr. que explanou sobre como implantar, divulgar e ampliar as ações das pastorais locais enfatizando que devemos cuidar do modo como o valor da Pastoral é percebido sendo “preciso cuidar da embalagem (as ações desenvolvidas pela pastoral do empreendedor) para que as pessoas possam chegar à sua essência (que é a espiritualidade)”. No plenário final todos os presentes puderam indicar sugestões para o crescimento, aperfeiçoamento e a expansão da Pastoral do Empreendedor em todo o Brasil.

O II Encontro Nacional encerrou-se às 18h com a belíssima Missa celebrada pelo Padre Joãozinho, scj. e com o sentimento de que todos os presentes voltam para a sua cidade com muita energia para fazer a pastoral do empreendedor crescer e chegar a mais pessoas, cumprindo com seu propósito de ser a presença de Jesus no meio dos empreendedores.