II Encontro Nacional da Pastoral do Empreendedor

Missa de abertura do II Encontro Nacional

 

Aconteceu nos dias 02 e 03 de novembro de 2018 o II Encontro Nacional da Pastoral do Empreendedor na cidade de São Paulo-SP. Realizado no Centro de Formação Sagrada Família e conduzido pela coordenação nacional, o Encontro teve como principal desafio discernir formas de expansão e os meios de implantação de novas pastorais.

 

Pastorais Presentes

O Evento contou com a participação de coordenadores da PE de todo o país com representantes de Curitiba-PR, Maringá-PR, São Paulo-SP, São José do Rio Preto-SP, Jundiaí-SP, Presidente Prudente-SP, Mogi Guaçu-SP, Santo André-SP, Cuiabá-MT, Goiânia-GO, Vitória-ES, São João dos Patos-MA, Brasília-DF, Ariquemes-RO e Salvador-BA.

A Pastoral do Empreendedor do Santuário São Judas Tadeu esteve representada por dois de seus coordenadores: Patricia Maria e William Castro.

Patricia e William com o Frei Rogério (ao centro)

Mensagem de Dom Murilo para o Encontro

O II Encontro teve início no dia 02 às 18h com a missa de abertura sendo celebrada pelo Frei Rogério Soares, fundador da Pastoral e atual diretor espiritual. As atividades seguiram com a acolhida de todos os presentes por Ricardo Vencato, coordenador da Pastoral, que apresentou o vídeo enviado pelo Bispo referencial da Pastoral do Empreendedor, Dom Murilo Krieger, que nos lembrou, neste ano do laicato, a importância de todos sermos pastores do rebanho de Cristo e que devemos nos perguntar “o que podemos fazer por aquelas pessoas que não conseguem se ajudar sozinhas?” Logo após foi feita a recapitulação da ATA do I Encontro Nacional, ocorrido em 2017.

Confira o vídeo de Dom Murilo na íntegra:

Missão da Pastoral do Empreendedor

O segundo dia de Encontro foi mediado pelo Padre Joãozinho, scj. assessor espiritual da pastoral e iniciou-se com a rica partilha das experiências das pastorais do empreendedor locais que enfatizou a missão da Pastoral do Empreendedor que é cuidar pastoralmente da pessoa do empreendedor, do ser humano que é o primeiro a chegar na empresa e o último a sair, evangelizar também sua família, e consequentemente seus clientes e fornecedores, ressignificando o humano dentro das empresas. Também foi ressaltado que cuidar pastoralmente é envolver-se com a dificuldade do empreendedor que nos procura, sendo a presença de Jesus em sua vida.

 

Formação importante

Itens importantes do capítulo VII da Doutrina Social da Igreja foi apresentado e explicado pelo Frei Rogério que também abordou o tema da 4ª Revolução Industrial ressaltando que “o ser humano precisa se reconectar a si mesmo, não sendo possível para o homem viver na mesma velocidade das máquinas”. Após delicioso almoço foi apresentado o novo modelo do site da Pastoral do Empreendedor Nacional que estará no ar nos próximos dias.

O Encontro seguiu com a fala do vice-coordenador Daniel Godri Jr. que explanou sobre como implantar, divulgar e ampliar as ações das pastorais locais enfatizando que devemos cuidar do modo como o valor da Pastoral é percebido sendo “preciso cuidar da embalagem (as ações desenvolvidas pela pastoral do empreendedor) para que as pessoas possam chegar à sua essência (que é a espiritualidade)”. No plenário final todos os presentes puderam indicar sugestões para o crescimento, aperfeiçoamento e a expansão da Pastoral do Empreendedor em todo o Brasil.

O II Encontro Nacional encerrou-se às 18h com a belíssima Missa celebrada pelo Padre Joãozinho, scj. e com o sentimento de que todos os presentes voltam para a sua cidade com muita energia para fazer a pastoral do empreendedor crescer e chegar a mais pessoas, cumprindo com seu propósito de ser a presença de Jesus no meio dos empreendedores.

Nossa Senhora das Mercês – Padroeira da Pastoral do Empreendedor

Hoje celebramos o dia de Nossa Senhora das Mercês, padroeira da Pastoral do Empreendedor. Esta bela invocação remonta ao século XIII, época da dominação muçulmana na Península Ibérica. Os muçulmanos faziam também incursões nas regiões litorâneas francesas e italianas. Muitos cristãos eram aprisionados e levados como escravos para o norte da África. Condenados a trabalhos forçados e a muitas privações, embora a maioria dos discípulos de Cristo permanecesse fiel à sua fé, vários, porém, desertavam. Para alcançarem a liberdade trocavam o Evangelho pelo Alcorão.

São Pedro Nolasco recebeu da Virgem Maria uma inspiração para fundar uma Ordem religiosa inteiramente devotada ao auxílio e redenção dos cristãos cativos. Dia 10 de agosto do ano de 1218, Pedro Nolasco e Treze Cavalheiros se consagraram a Deus e se propunham oficialmente a se dedicarem à Redenção dos cristãos escravos que corriam grande perigo, inclusive, de traírem sua crença religiosa.

São Pedro Nolasco – o empreendedor

Para alcançar os objetivos da Ordem Mercedária São Pedro Nolasco agia como um verdadeiro empreendedor para arrecadar os fundos necessários para as missões realizadas.

Grandes os benefícios prestados pelos mercedários àqueles que estavam sob o jugo dos mouros. A ordem aprovada pelo Papa se espalhou pela Europa e, descoberta a América, estes religiosos viram um campo aberto para suas atividades, agora junto aos selvagens, depois, na proteção dos escravos africanos.

No século XVII em pleno ciclo do ouro, nas Minas Gerais, a Irmandade de Nossa Senhora das Mercês se estabeleceu em Ouro Preto. Espalhou-se depois para outras regiões mineiras como Diamantina, São João Del Rei, Mariana, Sabará, Santa Bárbara onde belos templos lhe foram edificados. Isto ocorreu também em outras partes do Brasil como São Luís do Maranhão, Belém do Pará, Rio de Janeiro.

Oração a Nossa Senhora das Mercês

Mãe querida das Mercês, com a simples confiança de filhos, recorremos a Ti. Vimos aos Teus pés de Rainha e Mãe de misericórdia, suplicando o Teu poderoso auxílio.

O nosso mundo vive aprisionado em tantas formas de escravidão e opressão. Nosso tempo não é menos atribulado que aquele em que Tu, compadecida da Terra, inspiraste a fundação de uma ordem religiosa, destinada à redenção dos cativos cristãos.

Novas formas de escravidão social, política ou psicológica que derivam, em última instância, da corrupção do pecado surgem a cada dia. Aqui nos tens, ó Mãe das Mercês, lutando para livrar-nos de tantas cadeias e opressões do nosso mundo. Ajuda-nos com a Tua misericórdia para que possamos recuperar a feliz liberdade dos filhos de Deus. Amém.

 

Espiritualidade nos negócios

 

Ser empreendedor significa aprender e conhecer técnicas e informações que dizem respeito às mais diversas áreas da empresa: gestão, financeiro, pessoas, marketing, produção, máquinas e programas essenciais para o crescimento da empresa.

Também é preciso conhecer muito bem o mercado, seus concorrentes, seus fornecedores e, acima de tudo, seus clientes. Para muitos, ser empreendedor é focar no seu negócio 24 horas por dia, sete dias por semana, pois a palavra da vez é crescimento. Cada vez mais ouve-se falar em crescimento exponencial, em crescimento sustentável, em crescimento escalável ou em Growth Hacking, que são aquelas ações que permitem a sua empresa crescer mais rápido.

 

Empreendimento x Empreendedor

A maioria dos assuntos que abrangem o universo do empreendedorismo na mídia referem-se ao empreendimento e não ao empreendedor, e quando o assunto refere-se à ele é para ensiná-lo a como se tornar um bom líder, ou a ser mais produtivo, ou a se relacionar melhor (networking) ou a divulgar sua empresa de modo direto e eficaz (o pitch). Alguns ainda se preocupam com a saúde, divulgando a importância de se fazer exercícios físicos, de dormir e se alimentar bem, de modo a ter uma vida saudável e equilibrada.

Empreendedor, aprender a cuidar da sua saúde espiritual é tão importante quanto cuidar da saúde financeira da sua empresa

Mas são poucas as matérias que se preocupam com a saúde emocional e espiritual do empreendedor e quando o fazem, geralmente resumem tudo a uma única palavra: o stress. Mas, ser empreendedor em um país em crise vai muito além do stress: é preciso lhe dar com a insegurança e o medo, com a falta de dinheiro, de clientes, de oportunidades. É preciso aprender que o empreendedor, por mais dedicado que seja ao seu negócio, não tem o controle de tudo e que o fracasso e os insucessos fazem parte da caminhada.

Diante desta realidade e com o intuito de acolher e orientar espiritualmente os empreendedores que foi criada em 2011 a Pastoral do Empreendedor (PE), uma pastoral da Igreja Católica Apostólica Romana que tem por objetivo ser uma presença de Jesus Cristo, o Bom Pastor, no universo empreendedor.

 

Nossa Missão

Na prática, a missão da PE é trazer a ética e as virtudes cristãs para este universo de modo a permitir que os empreendedores fortaleçam sua fé e sua resiliência na condução de seus negócios, ensinando que é possível criar uma empresa ética, transparente em suas ações, fraterna em seus relacionamentos com os colaboradores, fornecedores e clientes.

Para alcançar este objetivo tão desafiador nos dias atuais a Pastoral do Empreendedor atua com diversas práticas: palestras com conteúdo empreendedor abertas à toda comunidade, encontros de empreendedores católicos, reuniões semanais de estudo (da bíblia e de documentos da Igreja Católica), momento de oração nas empresas, retiro para fortalecer a espiritualidade e a Santa Missa com os empreendedores.

 

União entre o lado espiritual e empreendedor

A Pastoral do Empreendedor quer mostrar aos empreendedores do nosso país que o empreendedorismo e a fé podem e devem andar juntas, que não é preciso ser um empreendedor de segunda a sábado e um cristão aos domingos. É preciso e necessário unir a fé e o trabalho por um mundo mais ético, justo e fraterno nos negócios.

Para conhecer melhor a missão desenvolvida pela PE venha participar dos encontros promovidos pela Pastoral do Empreendedor no Santuário São Judas Tadeu, na Av. Jabaquara, 2682, no bairro do Jabaquara em São Paulo, toda primeira e terceira terça-feira do mês às 19h30.

Venha fazer a diferença conosco!